Projeto_ENTRE nasceu como o conceito base da Operação Orquestra Improviso , ocupação artística criada pelos coletivos Pequena Orquestra e Coletivo Improviso, e sediada no Teatro Gláucio Gill, a convite da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, entre os meses de outubro de 2008 e fevereiro de 2009

ENTRE, escrito acima de uma grande seta no nosso cartaz, não só literalmente convidava o público a dirigir-se à porta de entrada lateral do edifício, como também expunha a intenção central da ocupação: criar um terreno de convivência entre linguagens artísticas diversas – teatro, dança, música e performance -, e entre o público carioca e espetáculos de perfil contemporâneo – que muitas vezes têm longa carreira internacional e não encontram espaço de apresentação na cidade -. Com uma programação extremamente dinâmica a preços populares, a ocupação levou ao Gláucio Gill mais de três mil espectadores em apenas quatro meses.

Em 2009, a Secretaria Municipal de Cultura lançou O Edital de Ocupação da Rede Municipal de Teatros. Propondo ocupar por dois anos o Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, os curadores e diretores de produção da Operação Orquestra Improviso Daniela Amorim e Joelson Gusson, com a supervisão de Enrique Diaz, convidam novamente o Coletivo Improviso, e outros onze artistas contemporâneos com trabalhos em teatro, dança, performance, música e artes visuais, para integrar, como Artistas Associados, uma nova etapa do Projeto_ENTRE. Ampliando seu raio de ação em um programa triplo nos campos de Gestão, Curadoria e Política Cultural, o projeto vencedor do edital municipal busca agora devolver ao ECM Sérgio Porto o lugar de grande centro cultural que ele já ocupou no cenário carioca.

Gestão

A Gestão no Projeto_ENTRE pensa o Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto a partir de sua condição primeira: a de pertencer à rede pública de teatros da nossa cidade. A gestão de um espaço público tem a obrigação de possibilitar a atividade de um espaço cultural em sua plena capacidade, propiciando o trabalho de um grande número de artistas, e facilitando de forma eficaz o acesso do público à sua programação.
O modelo corrente de ocupação dos Teatros da Rede Municipal, ainda norteador do último edital, é estruturado basicamente na concessão da direção artística dos teatros a companhias e/ou produtoras residentes por dois anos consecutivos. Os diretores artísticos recebem uma verba anual sob acordo de contrapartida de apresentação de um espetáculo do grupo/Cia. por ano, e de programação constante de espetáculos, residências e oficinas variados. Devido ao baixo valor do orçamento para atender integralmente às muitas contrapartidas requeridas, este modelo acaba por incentivar, na prática, o emprego da verba anual do teatro em uma única produção, a da temporada obrigatória do grupo residente, e a consequente programação de produções convidadas já estruturadas, sem a possibilidade de oferta de qualquer estrutura a elas.

Projeto_ENTRE vem propor, mesmo dentro das obrigações deste modelo, uma forma de Gestão diversa.
A verba anual do ECMSP (R$150.000,00, não descontados os impostos) será destinada ao pagamento de profissionais e serviços contratados para manter o espaço em plena atividade: divulgação e assessoria de imprensa dos espetáculos, exposições e eventos, programação visual do site e de filipetas virtuais semanais, execução e colocação de banners, transporte de cenários, manutenção das galerias de arte, entre outros, além de ajuda de custo para os artistas visuais e palestrantes convidados, e curadorias profissionais específicas para as áreas de teatro, dança, música e artes visuais.
Portanto, não destinaremos o orçamento anual do ECMSP à produção inicial de espetáculos pautados no projeto, inclusive os do grupo residente, que serão patrocinados com verbas exteriores ao projeto. Entendemos que, dispondo desta verba anual específica, não há a possibilidade de financiamento do montante do que seria a produção de um espetáculo somada ao custo de funcionamento pleno do Espaço.
Esta é uma proposição, na prática, de um novo modelo de gestão do bem público: a distribuição de recursos feita de forma a atingir coletivamente um número maior de pessoas, e propiciar maior atividade de um espaço cultural para a população.

Curadoria

A proposição de Curadoria do Projeto_ENTRE para o ECM Sérgio Porto visa a implantação de um centro de arte contemporânea em um espaço cultural público da cidade, voltado tanto para a programação de eventos artísticos quanto para o questionamento do próprio fazer artístico hoje na sociedade. Empreendemos então dois esforços conjuntos: criar uma pauta de extrema qualidade e uma agenda de debates e conversas com artistas e teóricos conceituados. O Projeto_ENTRE convida portanto, artistas e público para que usufruam de sua programação, e para que participem dos debates sobre arte contemporânea e sociedade: ENTRE é um lugar onde a sociedade vê e pensa a arte, e também onde a arte se pensa enquanto parte de uma sociedade.
Ainda, o Projeto_ENTRE vê no espaço físico singular do ECMSP – de fácil trânsito entre a caixa cênica reversível, as duas galerias de arte, o bar, o foyer e o espaço externo – o privilégio de integrar elementos que o potencializam como centro de criação artística contemporânea. No Sérgio Porto, desde a sua inaugração, as manifestações artísticas acontecem no palco e nas galerias, mas também em volta deles, reunindo o debate e a criação em uma plataforma comum entre as várias linguagens artísticas e teóricas. O Projeto_ENTRE busca a reconstrução dessa dinâmica, devolvendo o Sérgio Porto ao seu lugar de centro de irradiação de novas proposições nas artes contemporâneas cariocas.

Política Cultural

A terceira via de ação do Projeto_ENTRE acontece no pensar estratégias e no empreender práticas que trabalhem para a implementação de uma Política Cultural eficaz e específica para o Rio de Janeiro.
Esta necessidade de pensar politicamente a Cultura inicia-se na proposição já do modelo de Gestão do próprio projeto, e vai ampliar-se para a discussão com a classe artística, com a comunidade, e com as instâncias do poder público e do poder econômico sobre as políticas culturais que atingem a todos nós neste momento. É de nosso extremo interesse escrutinar as dinâmicas de exclusão/inclusão da arte na sociedade, seus desdobramentos e mecanismos em curso, e a partir daí, criar novas possibilidades de ação. Toda a série de eventos semanais do ENTRE_Idéias e Ações (ver programação) insere-se diretamente nesse contexto, e são um ponto de partida para a criação de outras formas de diálogo e proposições coletivas.
Ainda, faz parte efetiva desse exercício político a programação espetáculos gratuitos visando a formação de platéia: não há sentido em incentivar e subsidiar a criação de produtos culturais através de editais se não há também iniciativas concretas em relação à formação de um espectador interessado em arte e consumidor de bens culturais. Cada produção pautada no ECMSP fará o Espetáculo Aberto: uma apresentação com ingressos distribuídos gratuitamente em comunidades carentes do entorno, como o Morro Santa Marta e o Recanto Familiar.
Outra frente de implementação de uma política cultural pensada de forma mais coletiva e ampla é o Projeto ENTRE_Lugares. Ainda em fase inicial, o projeto consiste em criar parcerias com instituições internacionais com o mesmo perfil de pensamento e organização que o Projeto_ENTRE, visando o trânsito de artistas e teóricos brasileiros e estrangeiros para a realização de residências, workshops, palestras e apresentações de espetáculos tanto aqui quanto nos países de origem dos nossos parceiros: queremos criar um campo de troca constante de informações e questionamentos sobre as políticas e realidades sociais de diversos lugares produtores e consumidores de cultura no mundo. Já temos firmadas parcerias com algumas instituições em Portugal e na Inglaterra, além de artistas já em ação de captação de recursos em seus países de origem, individualmente interessados em ações em conjunto com o Projeto_ENTRE. Todas estas ações ainda aguardam definições de datas na programação, e serão divulgadas oportunamente.

A Prefeitura do Rio de Janeiro apoia o Projeto_ENTRE através do edital de ocupação para a rede de teatros e patrocinou o Projeto_ENTRE_Lugares Rio-Londres