Joelson Gusson

Joelson Gusson

Diretor, ator, dramaturgo e cenógrafo

Joelson Gusson é diretor, ator, cenógrafo e dramaturgo. Formado em Teoria do Teatro pela UNIRIO e no curso técnico para atores da CAL.

Juntamente com Daniela Amorim foi Diretor Artístico do ECM Sérgio Porto (2010/19) e curador do Projeto_ENTRE e dos Festivais Dois Pontos e Entre Lugares. Esses projetos possuem um vasto portfolio de realizações onde durante quase 10 anos fomentaram as artes cênicas, a música e artes visuais na cidade do Rio de Janeiro e em intercâmbios internacionais.

Em 2004, juntamente com os atores Lucas Gouvêa e Leonardo Corajo, fundou o grupo Dragão Voador tendo dirigido todos os espetáculos do mesmo: A Maravilhosa História da Mulher que Foi Tirar um Retrato (2018) SESC Tijuca e ECM Sérgio Porto, Volta Seca com texto de Alan Pellegrino (2018) ECM Sérgio Porto e Centro Cultural Parque das Ruínas, O Animal que Ronda (2018) temporada no ECM Sérgio Porto, Hotel Brasil (2017) com temporadas no SESC Copacabana, ECM Sérgio Porto e Centro Cultural Galileo em Madrid, Tran_se, em parceria com Daniela Amorim (2016) pelo qual foi indicado ao Prêmios Shell de Melhor Ator, com temporadas no ECM Sérgio Porto e Casa Elizalde em Barcelona, Enquanto o Mundo Acaba (2016) em cartaz no ECM Sérgio Porto, As Horas Entre Nós (2013) pelo qual foi indicado ao Premio Shell de Melhor Cenário, também em cartaz no ECM Sérgio Porto, Amérika! (2012) temporada no ECM Sérgio Porto e na Plataforma Rio, Paisagem Nua (2011) que estreou no Espaço SESC com subsequentes temporadas no ECM Sérgio Porto, Manifesto Ciborgue (2007/10) apresentado no Festival Riocenacontemporanea, Festival de Curitiba, Teatro Glaucio Gil, ECM Sérgio Porto e Four Days Festival em Praga, O Que Nos Resta é o Silêncio (2005/07) ganhador do Premio Myriam Muniz, com estreia no Espaço SESC e temporadas na Casa de Cultura Laura Alvin e Casa da Glória e As Criadas (2004/05) que estreou no Teatro Glauce Rocha RJ e cumpriu temporada no Centro Cultural São Paulo.

Luisa Friese

Luisa Friese

Atriz, escritora e produtora

Luisa Friese iniciou sua carreira artística em 1998.  Atualmente trabalha como roteirista e atriz do programa Pulp Lu e atriz da Cia. Dragão Voador.
Seus trabalhos mais recentes são: Programa Pulp Lu, Streaming, em fase de finalização 2019; A Maravilhosa História da Mulher que Foi Tirar Um Retrato (2018); Volta Seca, como assistente de direção (2018); O Animal que Ronda (2018); Hotel Brasil (2017); Enquanto o Mundo Acaba (2016); Vulgar (2015).
As novelas:
 Babilônia (2015),
 Lado a Lado (2012/13).
Série: Bicicleta e Melancia (2011) – Multishow.
Longa-Metragem: Mulheres no Poder (2014); Curta-Metragem: Madá (2016).
Em 2010 criou a videoinstalação “Impermanência”, agraciada com o Prêmio Conexões Artes Visuais Minc Petrobrás, Oi Futuro, Flamengo.
Em 1999 fundou no Rio de Janeiro a Cia. As duas, realizando 05 espetáculos que percorreram os Sescs do Rio de Janeiro e São Paulo, onze unidades dos Sesis de São Paulo e ganhou ainda o Prêmio Myriam Muniz/RJ.
Por seu trabalho na peça “O Arquiteto e o Imperador da Assíria” de Fernando Arrabal, recebeu o prêmio de melhor atriz no Festival de Niterói.
Trabalhou ainda em mais de 20 espetáculos entre Rio e São Paulo.
Estudou Artes Cênicas no INDAC e Belas Artes na UFRJ.

https://www.instagram.com/luisafriese/

Alan Pellegrino

Alan Pellegrino

Ator, dramaturgo e produtor

Alan Pellegrino é ator, dramaturgo e produtor.
Estudou e participou do grupo Tá na Rua, sob direção de Amir Haddad onde atuou nos espetáculos, Shakspeare e os Orixás (A Tempestade) e Geografia Popular do Rio de Janeiro.
Seus trabalhos mais recentes são: Pouco Amor não é Amor de Nelson Rodrigues com direção de Sidnei Cruz com temporadas no Sesc Tijuca e Teatro Poeira e Volta Seca com direção de Joelson Gusson que participa do Festival Midrash e da Mostra Solo Brasileiro (2019).
Em (2016) passa a fazer parte da companhia Dragão Voador com o espetáculo, Enquanto o Mundo Acaba com direção de Joelson Gusson. No ano seguinte estreia o espetáculo, Hotel Brasil que cumpriu temporadas no Sesc Copacabana, no ECM Sérgio e no Teatro Galileo em Madrid.
Em (2018) estreia no ECM Sérgio Porto seu primeiro texto autoral Volta Seca publicado pela editora Giostri.
Na TV seus últimos trabalhos foram na série Sob Pressão (2019) no papel de Fábio e na novela Segundo Sol (2018) no papel de Evandro. Recebeu prêmio de melhor ator pelo filme LAPA, segredos e outras Drogas (2013) no Cine Fest lapa.

Fundação

 

O Dragão Voador foi fundado em 2004 pelos artistas Joelson Gusson, Lucas Gouvêa e Leonardo Corajo.

 

Lucas Gouvêa

Lucas Gouvêa

Ator

Lucas Gouvêa é formado pela CAL – Casa das artes de laranjeiras. Co-fundador da Cia Dragão Voador onde participou dos espetáculos: O Animal que Ronda (2018) temporada no ECM Sérgio Porto, As Horas Entre Nós (2013) também em cartaz no ECM Sérgio Porto, Amérika! (2012) temporada no ECM Sérgio Porto e na Plataforma Rio, Manifesto Ciborgue (2007/10) apresentado no Festival Riocenacontemporanea, Festival de Curitiba, Teatro Glaucio Gil, ECM Sérgio Porto e Four Days Festival em Praga, O Que Nos Resta é o Silêncio (2005/07) ganhador do Premio Myriam Muniz, com estreia no Espaço SESC e temporadas na Casa de Cultura Laura Alvin e Casa da Glória e As Criadas (2004/05) que estreou no Teatro Glauce Rocha RJ e cumpriu temporada no Centro Cultural São Paulo.

Leonardo Corajo

Leonardo Corajo

Ator e dramaturgo

Leonardo Corajo é ator formado pela CAL e graduado em Letras com especialização em Literatura Portuguesa pela UERJ.Co-fundador da Cia Dragão Voador onde participou dos espetáculos: O Animal que Ronda (2018) temporada no ECM Sérgio Porto, As Horas Entre Nós (2013) também em cartaz no ECM Sérgio Porto, Amérika! (2012) temporada no ECM Sérgio Porto e na Plataforma Rio, Manifesto Ciborgue (2007/10) apresentado no Festival Riocenacontemporanea, Festival de Curitiba, Teatro Glaucio Gil, ECM Sérgio Porto e Four Days Festival em Praga, O Que Nos Resta é o Silêncio (2005/07) ganhador do Premio Myriam Muniz, com estreia no Espaço SESC e temporadas na Casa de Cultura Laura Alvin e Casa da Glória e As Criadas (2004/05) que estreou no Teatro Glauce Rocha RJ e cumpriu temporada no Centro Cultural São Paulo.