Formalizado então como Projeto_ENTRE a partir de 2010, e tendo vencido os três últimos editais lançados pela SMC, realizamos a direção artística do Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto há quase seis anos. Quando assumimos a residência artística do Espaço, o que nos movia era o desejo de trazer o Sérgio Porto novamente para o lugar de extrema importância artística que ele ocupou na cidade nas décadas de 80 e 90. Infelizmente, depois de dois incêndios e sucessivas direções artísticas pouco empreendedoras, o início dos anos 2000 não havia sido tão exitoso, levando o Espaço, na maior parte de sua programação, a uma crescente falta de público, salvo em eventos consagrados como o CEP 20.000.

Entendemos que curadoria e programação, feitas com seriedade e conformidade com as vocações do espaço cultural, são a chave para formar e fidelizar o público, para consolidar o prestígio do espaço cultural, e consequentemente, atrair investimentos e para a cultura em geral.

Para otimizar – nas condições que nos eram oferecidas – tanto o horário de trabalho proposto pela SMC quanto o uso das instalações físicas, criamos várias estratégias de uso do espaço, tais como: pautar espetáculos de teatro e dança, e mostras teóricas e práticas, nos espaços do foyer e das galerias; realizar exposições e debates no pátio frontal; programar peças que literalmente dividiram o palco ao meio em sessões alternadas. Criamos ainda o conceito de miniocupações: usando intensamente o centro cultural durante o espaço de uma temporada (usualmente um mês), propusemos a artistas importantes do cenário contemporâneo carioca e internacional a realização de dois a quatro trabalhos, apresentando mostras de repertórios de suas companhias. Estiveram no ENTRE as miniocupações Invasão Bailarina de Vermelho, de Alessandra Colasanti, ocupação da Cia Foguetes Maravilha, de Felipe Rocha e Alex CassalAmérika +Trilogia da Matéria, do grupo Dragão Voador Teatro Contemporâneo, Ocupação Staccato Cia de Dança, do coreógrafo Paulo Caldas, o Desmonte Marginal, da Cia Marginal, dirigida por Isabel Penoni, a ocupação EIRA, de Francisco Camacho – Portugal, a Cia Vértice 20 anos, da diretora Christiane Jatahy, e a ocupação da Cia Teatro Meia Volta, com direção de Alfredo Martins – Portugal, e recentemente, o Coletivo Bonobando, dirigido por Adriana Schneider e Lucas Oradovschi. 

Com o reconhecimento da qualidade de sua programação, a curadoria do espaço despertou o interesse de companhias e artistas de fora do Rio para o Sérgio Porto, que buscaram financiamento em suas cidades para custearem suas viagens e entraram em cartaz conosco. Desta forma, mesmo sem qualquer aporte de verbas da residência, realizamos excelentes ações de programação: do Brasil, recebemos 10 espetáculos de teatro e dança de grupos importantes das cidades de Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo; de fora do país, estiveram no  SP espetáculos e grupos da França (Strindbergman |2010), da Bélgica (TGStan – Of/Niet | 2012), e de Portugal (ocupação EIRA | 2014, e ocupação do Teatro Meia Volta | 2015).

Com a expertise adquirida, buscamos e fomos contemplados com o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e da Secretaria Municipal de Cultura em três projetos para o espaço. Em parceria com o Chelsea Theatre, de Londres, idealizamos e produzimos o Festival Entre_Lugares, em junho 2012. Este festival (que funcionou como um embrião do atual Festival dois pontos), propunha a relação ponto a ponto, teatro a teatro, com um país parceiro, fomentando o intercâmbio de trabalhos. Expandindo esta ideia para a rede de teatros municipais, foi criado, em um trabalho de colaboração direta com as demais residências, o Festival dois pontos, que teve sua primeira e exitosa edição em 2013, com Portugal, e encerrou este ciclo de residências em março de 2015, desta vez com a Argentina, em uma segunda edição ampliada e de grande sucesso.

Recebemos, em todos os anos de nossa residência, com parceria e respeito, o CEP 20.000, já patrimônio cultural carioca há 25 anos. E os principais festivais anuais voltados para as artes contemporâneas: Tempo Festival das Artes, Panorama de Dança e FIL. Abrigamos também os festivais sazonais ArtCena, Mostra Hífen, Festival do Ritmo, Mostra Interart, Mostra de Dramaturgias e Subjetividades Selvagens.

Neste momento, o Projeto_ENTRE está operando no ECM Sérgio Porto, onde trabalhou intensamente desde março de 2016, recriando seu trabalho de residência artística dentro do novo modelo de gestão proposto no último edital da SMC. Após alguns meses de adequação e testes, podemos afirmar que esta nova forma de gestão tem sido exitosa, e tem proporcionado uma maior e melhor oferta de bens culturais oferecidos ao público carioca, nosso principal alvo. Conseguimos hoje oferecer mais qualidade de serviço por nossa equipe, melhores equipamentos, e uma programação ainda mais intensa, além de uma ocupação mais eficiente dos espaços.

Dentro deste novo modelo conseguimos transformar a galeria do segundo andar do Sérgio Porto em uma sala multiuso onde ocorrem ensaios, oficinas e temporadas de espetáculos para um público reduzido. Reformamos o bar, foyer do teatro, escritórios e pintamos a fachada que ganhou um novo jardim.

Esperamos você no Espaço Cultural Sérgio Porto, sempre de terça a domingo, das 14h às 22h. 

Projeto_ENTRE

Projeto de Residência Artística atualmente em exercício no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto

Rua Humaitá, 163

+55 21 25353846 / 25353927

info@projetoentre.com

Solicitações de pauta de teatro, dança e artes visuais:

pautas@projetoentre.com

 

Solicitações de pauta de musica:

musica@projetoentre.com