As Criadas

Ficha Técnica
Autor – Jean Genet
Direção – Joelson Gusson
Assitência de Direção – Júlia Cárdenas e Lídia Olinto
Elenco – Lucas Gouvêa, Leonardo Corajo e Danilo Menegale
Cenografia e Figurinos – Joelson Gusson e Clarice Rito
Tradução e Preparação Corporal – Gustavo Ciríaco
Iluminação – José Geraldo Furtado
Trilha Sonora e Engenharia de Som – Dragão Voador
Fotografia – Dalton Valério
Programação Visual – Clarice Rito
Produção Executiva – Ângela Blazo e Ítala Mattos
Direção de Produção – Joelson Gusson

 

 

 

 

CRITICAS

O Estado de São Paulo

(…) O que há de curioso na direção de Joelson Gusson é exatamente o fato de não utilizar como pano de fundo as formalizações do drama burguês. Não há beleza, tampouco sedução nos figurinos que envergam ou nos objetos que cercam (os atores). Pelo contrário, são forçados a dar sentido aos trastes degradados da área de serviço, trabalhar sobre este aparato heterogêneo que se esconde no fundo das mansões tanto quanto das habitações comuns. (…) a julgar por este é possível compreender As Criadas de outro modo sem a perda de impacto. Solange e Claire não serão mais seduzidas pelas formas ilusórias do universo de Madame. Estão presas e reproduzindo uma servidão ainda mais insensata porque sequer gratifica a sede de beleza dos escravos. Precisam instaurar a cerimônia sobre lugar vazio.”

Mariângela Alves Lima
O Estado de São Paulo – 04/02/2005

Folha de São Paulo

“(…) Gusson sabe fazer dialogar sua encenação com o texto: nos momentos de angústia das criadas, como num sonho, elas atravessam uma parede imaginária e voltam ao seu quarto, acentuando o jogo de faz-de-conta, embaralhando as certezas da caricatura. Permite assim que se faça uma leitura mais atenta dos signos que desde o começo estão em cena: o relógio, marcando o tempo real, o manequim que concretiza jogo de troca de papel. Sem concessão ao humor fácil, promete uma carreira a ser seguida.”“As Criadas alerta para a ilusão de eternidade. Na atual montagem da peça de Jean Genet, intérpretes evitam o exagero e respeitam com muita perspicácia o texto.

Sérgio Sálvia Coelho
Folha de São Paulo – 29/01/2005

Tribuna da Imprensa

“(…) Impondo à cena uma dinâmica que combina austeridade e fantasia, Joelson Gusson consegue materializar os principais conteúdos propostos pelo autor, tendo ótimos parceiros nos seguros atores que dão vida aos complexos personagens. Cabe também destacar a criatividade do cenário, figurinos e trilha sonora, assinados pelo diretor, assim como a expressiva iluminação de Maurício Cardoso, a preparação corporal de Gustavo Ciríaco e Denise Stutz e a ótima tradução de Ciríaco.”

Lionel Fischer
Tribuna da Imprensa – 04/10/2004