APAGÃO: 14/11

APAGÃO: 14/11

Dia 14 de novembro de 2018

Quarta-feira às 20h30

R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia-entrada

Local de venda: Ingressos à venda na bilheteria de 5ª a segunda de 17h às 21h

Classificação: 16 anos

Duração: 50 minutos

Espetáculo de dança criador pelos artistas portugueses David Marques e Tiago Cadete. Na passagem para o século XX, um teatro escuro poderia ter sido chamado de “wagneriano”, referenciando o compositor alemão Richard Wagner. Foi para criar uma maior atenção ao que se passava em cena perante os olhos do espectador que Wagner escureceu a plateia, através dos avanços eléctricos nas luzes para teatro. O espetáculo aqui apresentado questiona a necessidade de enxergar para se criar um espetáculo de dança ao solicitar que o público utilize outros sentidos para “ver” o espetáculo.

Criação e interpretação: David Marques & Tiago Cadete

Desenho de luz: Rui Monteiro

Apoio ao desenho de som: João Neves

Fotografia: José Carlos Duarte

Assessoria de imprensa (estreia): Mafalda Simões

Produtora: Julia Baker

Produção: Parca ; Co-pacabana

Produção no Brasil: Bomba Criativa

Co-produção: Temps d’Images e Citemor

Apoio: Internacionalização Fundação Calouste Gulbenkian

Residências: Espaço do Meio, Eira – um lugar para a dança, Negócio/ZDB, Citemor

Realizacao

Patrocínio

TRINDADE – Festival Panorama 2018 – 11 E 12/11

TRINDADE – Festival Panorama 2018 – 11 E 12/11

Dias 11 e 12 de Novembro

Domingo e segunda às 21h

R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia-entrada

Duração: 50 minutos

Classificação Etária: 16 anos

Trindade (a drag, o cavalo e o xaile)

Conjunto de três entidades, seres, objetos de igual natureza.

As descobertas e afirmações de três corpos são contextos que derramam na dramaturgia da performance através de fados portugueses. O que é ser igual na natureza? O que define sua natureza? O que te faz ser diferente ou igual ao outro? O espetáculo é um apanhado de coisas que durante a trajetória de vida dos interpretes, os fizeram ter afinidades que vão além da forma ou dos corpos, é uma condição de estar juntos na cena.

Direção, Concepção e Coreografia: Samuel Alvís

Bailarinos: Adriano Abreu, Jose Nascimento e Samuel Alvís

Figurino: Adriano Abreu

Cenário e Luz: Jose Nascimento e Samuel Alvís

Tecnico de Luz e Som: Felipe Rodrigues

Realizacao

Patrocínio

ENTRE – Festival Panorama 2018 – 9 e 10/11

ENTRE – Festival Panorama 2018 – 9 e 10/11

Dias 09 e 10 de Novembro

Sexta e sábado às 21h

R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia-entrada

Duração: 50 minutos

Classificação Etária: 16 anos

O Entre é uma espécie de condição da vida contemporânea, uma vida de enganchamentos.

O E|N|T|R|E é uma criação que se deu a partir da relação do corpo e da dança com a própria “condição” de ser artista – atravessada, enganchada, emaranhada – e com o desejo em fluxo de se reinventar artisticamente.

E|N|T|R|E é uma metáfora das condições que circundam, amarram e determinam o fazer dança, seja em Teresina, ou qualquer outra cidade.

Concepção e criação: Datan Izaká

Performers: Helen Mesquita, Daline Ribeiro e Ireno Gomes

Colaboração: Janaína Lobo, Jacob Alves, César Costa, Glenda Fontinele, Paulo Beltrão, Viviane Lopes, Layane Holanda e Eduardo Araújo.

Fotografia: Victor Gabriel

Design de Luz: Pablo Gomes

Design de Som: Sérgio Donato

Identidade visual: Sérgio Donato

Vídeo: Jacob Alves, Poliana Oliveira e Victor Santos

Realizacao

Patrocínio

DEIXA ARDER 

DEIXA ARDER 

Ficha técnica:

Direção artística: Marcela Levi & Lucía Russo

Performance e cocriação: Ícaro dos Passos Gaya, Lucía Russo e

Tamires Costa

Estagiárias: Taís Almeida e Anne Naukkarinem

Desenho de som: toda a equipe

Desenho de luz: Levi & Russo e Tábatta Martins

Programação visual: Paula Delecave

Fotografia: Paula Kossatz e toda a equipe

Registro em vídeo: Luiz Guilherme Guerreiro

Apoio: Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro,

Consulado da Argentina no Rio de Janeiro, Espaço Cultural Sítio

Canto da Sabiá.

Coprodução: toda a equipe

Realização artística e produção: Improvável Produções

Temporada/Dias: 25 de novembro a 18 de dezembro de 2017

Horários: sábados, domingos e segundas às 19h

Valor: R$ 40,00 inteira R$ 20,00 meia entrada

Galeria Marcantônio de Villaça 2

Classificação: 16 anos

Capacidade: 20 lugares

DEIXA ARDER é uma peça de dança com cenas criadas no fervor

do momento, em que as pessoas representam elas mesmas,

empurradas até o limite. Uma ação realizada sem qualquer

subsídio. Todos aqui estão trabalhando a fundo perdido. Em larga

escala, ninguém ouvirá falar, nem ficará sabendo da existência de

DEIXA ARDER. A única maneira de se divulgar isso é na surdina,

no boca-a- boca. Os antros exibem-se em seu próprio ocultamento.

 

Realizacao

Patrocínio

CRIA  (2017)

CRIA  (2017)

Direção: Alice Ripoll

Interpretação: Tiobil Dançarino Brabo, Kinho JP, VN Dançarino Brabo, Nyandra Fernandes, May Eassy, Romulo Galvão, Sanderson BDD, Thamires Candida, GB Dançarino Brabo, Ronald Sheik

Assistência de direção/operação de som: Alan Ferreira

Produção: Rafael Fernandes

Iluminação: Andréa Capella

Figurino: Raquel Theo

Comunicação: Ana Righi

Assessoria de Imprensa: Nobre Comunicação

Arte: Caick Carvalho

Fotos e vídeo: Renato Mangolin

Colaboração: Laura Samy

Professor: Tony Rodrigues

Temporada/Dias: 17 a 20 de novembro de 2017

Horário: sexta, sábado e segunda às 21h e domingo às 20h

Valor: R$ 20,00 inteira  R$ 10,00 meia

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro

Classificação: 14 anos

Capacidade: 130 lugares

“CRIA” é o novo trabalho da coreógrafa Alice Ripoll com o grupo Suave. Após o sucesso do seu espetáculo homônimo de estreia, o segundo trabalho do grupo traz para o palco uma verdadeira mistura de estilos, amarrados pelo olhar contemporâneo da coreógrafa. A pesquisa de um ano culminou em uma linguagem hibrida inovadora e que construiu corpos capazes de expressar a ginga da dança nascida nas favelas, o virtuosismo do passinho, o questionamento e a teatralidade da dança contemporânea. O trabalho passeia pela dança afro, o afrofunk, o passinho, a dancinha, o contato e improvisação, e por uma elaborada pesquisa sonora. No transcorrer das cenas de CRIA, o público pode sentir a busca pela força criadora que mantém o desejo de estar vivo e se movimentando. “Desde o início do grupo, nossos processos falam de estar aberto a se modificar através do contato com os outros. Isso gerou uma força muito intensa que se manifesta nas cenas de conjunto, isso é maior do que qualquer coreografia ou técnica”, afirma Alice.

Realizacao

Patrocínio

PANORAMA FESTIVAL:  SING THE POSITIONS (2017)

PANORAMA FESTIVAL: SING THE POSITIONS (2017)

Concepção Ioannis Mandafounis Coreografia, dança, música Ioannis Mandafounis, Manon Parent Desenho de luz David Kretonic Música: David Scrufari Produção Cie Ioannis Mandafounis Coprodutores ADC-Geneva, Tanzhaus-Zürich, RESO-Fonds des programmateurs, Prairie-Migros Cultural Percentage  Apoiadores Swiss Arts Council Pro Helvetia, State of Geneva, SSA, Nestlé for Art foundation, Stanley Thomas Johnson foundation, Corodis, Lottery romande

Temporada/Dias: 03 de novembro de 2017

Horário: sexta feira às 19h

Valor: R$ 20,00 inteira  R$ 10,00 meia

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro

Classificação: Livre

Capacidade: 130 lugares

Com Sing the Positions, Ioannis Mandafounis e Manon Parent oferecem uma fusão única de uma peça de dança e um concerto em sua forma mais pura e simples. Utilizando as ferramentas que  acumularam ao longo dos anos como improvisadores, bailarinos e músicos, a dupla inunda o palco com suas habilidades em dança, combinadas com músicas e texturas sonoras criadas ao vivo que se encaixam em cada novo cenário que surge dentro da peça. A associação Cie Projet 11 foi criada por Ioannis Mandafounis e Fabrice Mazliah em 2009. O Cie Projet 11 tornou-se Cie Ioannis Mandafounis em 2015. Seus coreógrafos estão sempre à procura de novas oportunidades para familiarizar o público com a dança, sempre com o desejo de envolver o espectador.

 

Realizacao

Patrocínio