CARBONA 

CARBONA 

Ficha Técnica:

Guitarra/voz: Henrique Badke

Baixo:  Melvin

Bateria: Pedro

Guitarras: Bjorn Hovland

Data da apresentação: 23 de outubro de 2017

Horário: segunda feira às 20:30h

Valor: R$ 30,00 inteira  R$ 15,00 meia

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro

Classificação: livre

Capacidade: 130 lugares

Neste ano a banda carioca CARBONA completa 20 anos de estrada  e anuncia o lançamento do  EP comemorativo “Fórmula Mágica, trazendo 6 músicas inéditas “ em vinil 7 polegadas” e formatos digitais , que prometem resumir a carreira da banda até aqui.  Fórmula Mágica reforça a simplicidade cativante do rock de três acordes , combinados com melodias que grudam como chiclete.

O EP condensa justamente tudo aquilo que o CARBONA fez ao longo de nossos 20 anos.  Combinando músicas compostas a partir dos “ensinamentos obtidos” como alunos aplicados da “Rock n´ Roll High School” e da influência direta das Lookout Bands, com outras canções rápidas influenciadas pelo Hard Core anos 90, temos neste disco um pouco de tudo que gravamos e da energia e alegria que nos trouxeram até aqui”.

 

Realizacao

Patrocínio

ARTHUS FOCHI – abertura: LUÍS PEREQUÊ

ARTHUS FOCHI – abertura: LUÍS PEREQUÊ

13 de Outubro

Horário: 20h

Valor: R$ 30 Inteira, R$ 15 Lista Amiga e Meia

Espaço Cultural Municpal Sérgio Porto

Classificação: Livre

Capacidade: 130 lugares

Arthus Fochi, compositor, poeta, músico pesquisador, professor, historiador e sócio da gravadora Cantores del Mundo, undada por Tita Parra, neta da folclorista chilena Violeta Parra.

Desde 2007, viaja e faz residências artísticas pela América Latina, investigando ritmos. Esta experiência resultou em nove faixas do seu novo disco “Suvaco do Mundo”, que transmitem a quebra de fronteiras tanto territoriais quanto musicais. Há mais de dez anos inspirado nesses ritmos e nas paisagens da América do Sul, o cantautor Arthus Fochi resume muito da musicalidade latina presente na MPB no seu novo trabalho, o recém-lançado Suvaco do Mundo, onde ele une o folclórico com o moderno, o campesino com o urbano.

ABERTURA:

Nascido e criado na zona rural de Paraty -RJ, Luís Perequê captou e traduziu em suas canções a cultura e o modo de viver do caiçara, bem como as transformações sociais advindas da construção da BR -101 .

No show,  Perequê apresenta um repertório de canções com temática voltada para a diversidade da formação da cultura brasileira, em especial para a cultura caiçara.

Seu show reúne músicas autorais dos seus três CDs, “Encanto Caiçara”,“Eu, Brasileiro” e “Tô Brincando”, apresenta outras inéditas e declama alguns poemas.

 

Realizacao

Patrocínio

QUE RI

QUE RI

Ficha Técnica:

Guitarra : Marcelão de Sá

Baixo – Daniel Pimenta

Bateria – Daniel Sili

Teclado – David Rosemblit

Sopros (sax, clarinete, flauta) – Marcelo Cebukin

Voz – Henrique Botkay

Data da apresentação: 12 de outubro de 2017

Horário: quinta feira às 20:30h

Valor: R$ 30,00 inteira  R$ 15,00 meia

Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro

Classificação: livre

Capacidade: 130 lugares

Que Ri é o projeto musical solo do cantor e compositor Henrique Botkay.

Funk, rock, baladas e groove são as propostas das canções.

Durante 2 anos cantou suas músicas na banda La Vereda, se apresentando em diversas casas do Rio de Janeiro. Em julho lançou online dois singles produzidos por Lucas Vasconcellos (Letuce, Legião Urbana). Agora vem aos palcos mostrar todas as faixas do disco que será lançado num futuro próximo.

 

Realizacao

Patrocínio

XEPA / NATA

XEPA / NATA

21 de setembro

quinta-feira às 20h

R$ 30,00 inteira R$ 15,00 meia entrada

Classificação: livre

Capacidade: 130 lugares

 

O jovem guitarrista e produtor Caio Paiva reuniu cinco destaques da cena contemporânea carioca – Ana Frango Elétrico, Crusader de Deus, Exército de Bebês, Nitú e Os Dentes, para gravar uma coletânea em vinil que registrasse o momento dessa cena musical. Dessa ideia nasceu um trabalho coletivo com a forte tradição de coletâneas que reuniram artistas e retrataram momentos importantes ao longo da história do rock (como a No New York, em 1978, Sub pop 200, em 1988, No Alternative, em 1993 e, no Brasil, Grito Suburbano, de 1982, Ataque Sonoro, de 1985, e CEP 20Mílsica, de 1993), foi a partir dessas conversas e inquietações que surgiu “Xepa/Nata”, a coletânea que será apresentada no Sergio Porto.

Nitú: Raquel Dimantas, Ricardo Richaid, Eduardo Verdeja e Frederico Santiago

Exército de Bebês: Daniel Rocha, Guilherme Lirio, Thomás Jagoda, Iuri Brito e Pedro Fonte

Os Dentes: Gus Levy, Rudah Maciel, Kayan Guter e Pedro Fonte

Crusader de Deus: Gabriel Guerra, Thiago Rebello, Clara Zettel e Renato Godoy

Ana Frango Elétrico: Ana Fainguelernt

Realizacao

Patrocínio

LETRUX

LETRUX

07 de setembro

quinta-feira às 20h

R$ 30,00 inteira R$ 15,00 meia entrada R$15,00 lista amiga

Classificação: livre

Capacidade: 130 lugares

 

“Depois de muito tempo sem compor apenas matutando, observando e enlouquecendo, eu voltei a fazer música”. Ufa! As letras e o jogo de palavras cada vez mais espertos. Frases que tirando um elemento mudam todo o sentido. “Tô louca pro mundo acabar. Tô louca pro mundo começar. Tô louca pro mundo”. Expressões e a escolha de palavras tão charmosas, tão únicas, incentivam o ouvinte a pegar cada lance. A voz, a melodia, o canto falado, a fala tudo isso aproxima muito ela do ouvinte, temos  a impressão de que ela é uma grande amiga. E talvez ela seja. Pois Letrux, com sua saga romântica desastrosa descreve tantos momentos de uma paixão, meus, teus, dela.

Voz: Letícia Novaes :: Guitarra: Natália Carrera :: Teaclado: Arthur Braganti :: Teclado/Guitarra: Martha V :: Baixista: Thiago Rebello :: Bateria: Lourenço Vasconcellos

Realizacao

Patrocínio

WHIPALLAS 

WHIPALLAS 

25 de agosto de 2017

sexta feira às 20h

R$ 40,00 inteira  R$ 20,00 meia entrada

Classificação: livre

Capacidade: 130 lugares

 

Foi num passeio pelo Salar de Tara, no Atacama, que Pedro Lenz encontrou o nome: Whipallas. Mas foi dentro do estúdio que Whipallas achou o caminho do seu som.  A Wiphala, que batizou o grupo, é uma bandeira que representa a reciprocidade dos povos andinos com o planeta, o respeito mútuo, a união dos seres, a celebração da vida.

É algo que eles também buscam na música e na própria banda, misturando e respeitando as influências de cada um, que vão do rock alternativo a clássicos de fora e daqui, testando a liberdade sonora entre outras influências mais dançantes como Michael Jackson e Daft Punk, e festejando essa sonoridade sempre que possível.

Guitarra e Voz: Pedro Lenz  :: Teclado e Synth: Bernardo Massot :: Baixo: Jayme Monsanto :: Bateria: André Coelho :: Guitarra: Marcio Biaso

Realizacao

Patrocínio